segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O pai da geração Sessão-da-tarde

* * *
John Wilden Hughes, Jr. (1950 - 2009).

O início de agosto de 2009, quando passou, levou consigo John Wilden Hughes, Jr. (1950 - 2009), o autor, produtor e diretor cinematográfico dos Estados Unidos cujo a imaginação deu-nos clássicos como Esqueceram de mim, Gatinhas e gatões, Clube dos cinco, Curtindo a vida adoidado, A malandrinha, Mulher nota 1.000, et coetera.

Mulher nota 1.000.

Hughes nasceu em Michigan, e depois sua família foi para o Illinois, cenário da maior parte das produções de sua carreira. Começou com campanhas publicitárias. Anos depois, lançou um sucesso pela histórica National Lampoon, seguido de sua dourada coleção nomeada, em parte, acima.

Gatinhas e gatões.

Fugindo ao escracho do humor da National, sua abordagem mais realista e despretensiosa da adolescência norteamericana na estagnada década de 80, com seus grupos, sua alienação, apatia - sempre habilmente suavizados -, conquistou fãs por todo o mundo, entre os quais produtores hoje não menos consagrados, como Joel Schumacher, Kevin Smith e Wes Anderson, alçou diversos atores e atrizes ao estrelato, o Brat Pack, e, por maior feito, tornou sua obra o padrão de entretenimento da geração que nesta retratou.

Curtindo a vida adoidado.

No Brasil, através das diversas exibições vespertinas dos filmes de John (entre outros da mesma época) na Sessão da tarde da Rede Globo, crianças em tenra idade ao tempo dos lançamentos das películas têm oportunidade de deliciar-se com Ferris, Sloane, Andrew, Brian, Claire, Gary, Lisa, Wyatt, Kevin "aprontando várias confusões".

Clube dos cinco.

Os jovens que agora passam as tardes a teclar F5 em seus perfis do orkut depois da escola não entenderão por que escrevo sobre esse homem; entretanto, a quem desejou defender a casa a bandidos, fingir que está doente para não ir à escola, protagonizar um desfile cívico, quem não acha gay dançar por sobre uma viga a acochar com os amigos... Enfim, quem deve ao mestre várias das mais divertidas horas na vida, sentirá sua falta.

Esqueceram de mim.

Jamais será esquecido, John; descanse em paz. VALE.

2 comentários:

Caroline Guimarães Gil disse...

Gente ! Que triste! Esses filmes fizeram minha vida, com certeza. E acredito que de muita gente também!!

Tiago Inforzato disse...

Eu sinto a falta desse cara. E dos seus textos também, Brunão!
Marooootooo! ahahahaha