quinta-feira, 8 de maio de 2008

NÓS NÃO SOMOS IMPRÓPRIOS PARA MENORES À TOA, QUERIDA!

***

Um Robert Crumb infeliz, vivendo com uns poucos amigos e nenhum sexo, só com seu talento para criar histórias fantásticas e pô-las no papel para publicação sob a forma dos quadrinhos, resolve desenvolver um novo personagem, uma forma de escapar às frustrações, o
alter ego dos pensamentos de Crumb - um ser que era esperto, elegante e autoconfiante -, o gato Fritz.


Conheçam Fritz o gato!

Quando Crumb chegava exausto do emprego odiado em sua casa, ele habituou-se a dedicar suas noites aos desenhos das aventuras de Fritz, um jovem felino acadêmico preocupado com conseguir garotas e livrar-se de situações "arriscadas" (imaginem uma paródia de James Bond com uma bola de pêlos presa à parede da garganta), mas não limitado a isso, porque em histórias mais recentes o autor abordava temas dos mais diversos por meio de Fritz, realçando o caráter de escape da criação, mudando de acordo com o que Crumb sentia necessidade de se afastar.

No fim, o animal de estimação de Robert fez sucesso, principalmente no movimento underground comix, sendo em diversas publicações colocado; destacando a Help! Que pertenceu ao antigo dono da famosíssima Revista Mad quando de sua circulação, sempre abordando nas cenas muitos intercursos sexuais e violência, especialidades de R. C.

O tempo então foi se passando, com a popularidade de Fritz o gato tornando-se maior e maior. Abriu-se-lhe o caminho da produção para dois filmes, classificados impróprios para menores, coisa que nunca acontecera antes com uma animação nos EUA. A censura não impediu o felino de brilhar nos cinemas, sucesso este que, sem embargo, também não era suficiente para agradar ao autor: Crumb estava tão insatisfeito com o resultado que, em 1972, n'uma das histórias Fritz o gato foi brutalmente assassinado por uma ex-namorada enfurecida, com um picador de gelo (sim, igual ao filme Instinto Assassino), nunca mais voltando a aparecer.


Cartaz de divulgação do 2º filme estrelando Fritz.

Sinto não lhes deixar uma ligação mais ágil à obra, mas uma busca ao sítio do 4share basta para aproveitarem esta dica. VALE!

3 comentários:

Valdirene Dias disse...

Postagem breve, porém valiosa!
O mundo queda-se ansioso. Desta feita, por Bukowski! :)

Tiago Inforzato disse...

Um dia vou ser sintético igual a você, brunera.
Uma dia das boas essa, heim!

Nevilton disse...

o primeiro está no youtube...
http://www.youtube.com/watch?v=hA5klkhFVNs

dividido em oito partes.

provavelmente o segundo está por lá também! :D